As vendas dos Windows Phone sempre foi um assunto um pouco restrito pela Microsoft, porém seus esforços vem aumentando, o Windows Phone 8 recebeu uma grande publicidade e existe uma pessoa por trás de tudo isso, Ben Rudolph.

ben-rudolph-windows-phone

Ben é o responsável pela campanha agressiva da Microsoft  e enfrenta um grande desafio popularizar o Windows Phone 8, em uma entrevista ao site VentureBeat, Ben diz  que as pessoas tem um brilho nos olhos quando vê pela primeira vez a tela inicial do Windows Phone:

A surpresa é grande e única as pessoa sente a diferença quando olha para o Windows Phone. Quero dizer, não é um recurso oculto, a tela inicial mostra em tempo real tudo o que acontece. Se você está acostumado a um iPhone, Android, ou mesmo um BlackBerry, você está acostumado com o mesmo tipo de interface do usuário, onde você tem vários aplicativos, você entra em um aplicativo e você faz algo, e você fecha o aplicativo, e você entrar em outro, e faz outra coisa. Quando as pessoas vêem a tela inicial do Windows Phone elas dizem uau, e vê um monte de coisas acontecendo. E depois de colocá-lo em sua mão, e você mostrar a eles como a interface é intuitiva e esta tudo acontecendo diante de seus olhos e que as  pessoas favoritas, restaurante ou filmes podem ser fixados na tela de inicio … de repente tudo faz sentido para eles.

Meet Windows Phone 8 SF photo 0

Ben diz que o Windows Phone foi um grande inicio de um novo sistema operacional diferente de tudo o que você já viu, e que o poder de integração da Microsoft vai conquistar muitos usuários.

A parte mais interessante da entrevista foi quando VentureBeat  perguntou se parece difícil para as pessoas a mudar para o Windows Phone. Aqui foi a sua resposta:

Eu não acho que é difícil de mudar. Como qualquer outra coisa, quando você tenta algo novo, você tem que aprender e explorar, encontrar todas as configurações. Mas é interessante, eu acho que as pessoas que estão migrando, ou mesmo recebendo um smartphone pela primeira vez estão adquirindo um Windows Phone porque ele é construído em torno de coisas que você quer fazer e as coisas que você gosta, isso é muito intuitivo. Quero dizer, eu não precisa do Facebook o tempo todo, eu só quero ser capaz de ver o que minha esposa e meus melhores amigos estão fazendo. Então eu fixo minha esposa na minha tela de início, eu faço um  grupo somente com os  meus melhores amigos, e agora eu só tenho um pedaços do Facebook. Então, você começa a entender que você não precisa do aplicativo todo e muitas vezes somente de uma parte dele.

Você pode conferir a entrevista completa aqui