Conectados novamente pessoal! Vamos ao TKD Responde!

tkdresponde18

Neste episódio:

– As famigeradas letras G, E, U e H+ que ficam ali no topo do seu celular

Bem, se a expressão dúvida recorrente fosse cobrada por uso, estaríamos ricos! O tema de hoje é um dos campeões em causar incertezas nos usuários, portanto, vamos para um tudo-ou-nada sobre esse fantasma do 3G/2G!

Muitos usuários pensam que a não exibição do texto “3G” ao lado da barra de sinal de seus aparelhos indica mau serviço da operadora, falta de cobertura, etc; na maioria dos casos, trata-se apenas de uma leitura equivocada dos símbolos trazidos pelo aparelho na sua tela. Em termos mais diretos: o 3G tem mais de um nome.

Seu aparelho oscila naturalmente entre o 2G/3G durante o dia, e isso é devido ás diferentes tecnologias de transmissão utilizadas pelas operadoras. Seja pelo custo, seja pela disponibilidade… todas as operadoras do Brasil utilizam diversas frequências de transmissão de dados e voz.

As letras que aparecem no topo do seu aparelho significam respectivamente estas tecnologias:

G (GPRS) 

Conexão 2G que tem velocidades médias de 32 a 80 kbits de download e de 8 a 20 kbits de upload.

É mantida em locais onde não há mais nenhuma outa cobertura de internet móvel ou em locais de sinal péssimo.

E (EDGE)

Conexão 2G que funciona junto ao GPRS; tem velocidades médias de 35.2 a 236.8 kbits para download e de 8.8 a 59.2 kbits para upload.

Algumas operadoras utilizam novas versões do EDGE como rede auxiliar do serviço de 3G, fazendo com que a velocidade média possível em EDGE chegue à 500 kbits em zonas com antenas “da nova geração”.

U (UMTS)

Conexão 3G que tem velocidades muito, muito relativas. A teoria diz que a velocidade de 1mbit existe aqui, já os planos e limites de tráfego das operadoras…

A UMTS foi a primeira modalidade de conexão 3G no Brasil adotada em larga escala.

H e/ou H+ (HSDPA e HSUPA)

Também conhecidos por 3G, 3.5G e 3G+, são os padrões ativos de transmissão 3G mais utlizados hoje. Tem velocidade real relativa e limitada pelas operadoras tal como o UMTS, porém atinge muito mais facilmente o limite dos 1mbits de velocidade e tem estabilidade incomparável.

Gastam menos energia na transmissão, tem sinal mais eficiente e tem maior rede de cobertura que os outros tipos de tecnologia 3G em solo brasileiro.

Usualmente os aparelhos indicam H/H+ dependendo das operadoras utilizadas ao invés de 3G/3.5G, tanto para clientes pré como pós (que em algumas operadoras recebem “zonas diferentes” de conexão)

Mas e o 4G?

Ainda em implementação real no solo brasileiro, é perda de tempo discutir sobre isso, O padrão adotado no Brasil além de temporário está em testes, e está sendo lentamente adotado pelas operadoras. Esse assunto ainda vai mudar muito de rumo, tecnologia de transmissão e tudo mais. Resta aguardar.

Existem alguns guias mais antigos (do ano de 2009-2010) que falaram muito sobre esse termos logo quando era “a febre do 3G”. Este aqui é um dos recomendados para os interessados em história da tecnologia.

… gostou? Confira no vídeo abaixo as outras dúvidas desse episódio do TKD Responde!

Participe dos próximos TKD Responde! Escolha como por este link aqui! 

VIA