Por muito tempo, durante os seus primeiros anos de vida, o Facebook não faltou pretendentes para comprá-lo. A rede social que, a princípio, nasceu como algo exclusivo para estudantes e universitários, hoje é uma das maiores empresas do mundo.

Facebook windows

Mark Zuckerberg, CEO e fundador da empresa, soube muito bem “jogar as cartas” certas durante seus primeiros dias, acreditando no potencial do Facebook e rejeitando qualquer proposta de compra.

Um desses potenciais compradores na época era a Microsoft, afirmou Steve Ballmer, que era CEO da companhia naquele tempo em uma entrevista á CNBC. De acordo com ele, a gigante de Redmond ofereceu US$ 24 bilhões para comprar a rede social quando ainda estava começando sua carreira.

microsoft-steve-ballmer-facebook-in-backgroundObviamente, Mark Zuckerberg rejeitou a oferta, mas em 2007 a Microsoft pagou US$ 240 milhões para adquirir 1,6% do Facebook quando a empresa tinha três anos de existência e uma média de valorização de mercado avaliada em US$ 15 bilhões.

De acordo com o livro “The Facebook Effect”, de David Kirkpartick, depois de obter essa porcentagem, a Microsoft teve a oportunidade de ser 5% a mais que o Facebook a cada 6 meses. Isto significa que a gigante teria o controle da rede social em cerca de 5 a 7 anos. No entanto, o que ninguém esperava é que á partir desse ano, o Facebook experimentou um crescimento brutal, atingindo um valor de US$ 102,6 bilhões no mercado.