O ex-CEO da Microsoft, Steve Ballmer, provavelmente é a figura mais controversa na história da Microsoft, e ele está sempre revelando detalhes de como foram seus últimos anos no controle da empresa. Recentemente, em uma entrevista concedida ao Bloomberg, ele contou como era sua relação com Bill Gates, a relutância da empresa em lançar a linha Surface e indica que continua a acreditar que sua estratégia traria smartphones de sucesso.

ballmer-with-windows-phone-635

Sobre Bill, Steve disse que o fundador da companhia ficou “perdido” quando ele deixou o cargo de CEO. Apesar de ainda trabalhar na Microsoft, de acordo com Ballmer, na sua época, Gates não sabia como trabalhar para ninguém, e o CEO  não sabia onde colocá-lo. Até que em 2008, Bill Gates deixa a Microsoft e Ballmer, fica mais livre para exerce suas funções como líder.

As principais diferenças entre Bill e Steve, era os diferentes pontos de vista sobre o mercado de hardware. O ex-CEO afirma ter lançado a linha Surface durante seu mandato, mas também aponta outros sucessos da Microsoft que começou durante seus anos como líder, como: Bing, Office 365 e Azure.

Quando eu me tornei CEO, tivemos um ano muito ruim. Bill não sabia como trabalhar para ninguém e eu não sabia o que fazer com Bill […] Houve um desacordo sobre o quão importante era o negócio de hardware.

O conselho de administração e Bill Gates estavam relutantes quanto a linha Surface

steve-ballmer-y-bill-gatesNa entrevista, Steve Ballmer explicou que o conselho de administração e o próprio Bill Gates estavam relutantes em entrar diretamente no mercado de hardware. Na época, a Apple foi a marca de referência e tentar competir com ela seria arriscado. Por fim, Ballmer fez de tudo e finalmente o Surface “viu a luz do dia”.

Agora, sob a administração de Satya Nadella, quase três anos após abandonar a empresa, a Microsoft continua comprometida com o mercado de hardware, ou seja, produtos tecnológicos, exceto o mercado de smartphones, que não anda lá muito bem.

Vimos a quarta geração do Surface Pro, a chegado do Surface Book e  do Surface Studio. Steve explicou dizendo:

Impulsionei o Surface, a empresa foi um pouco relutante em apoiá-lo e o clímax veio sobre o que fazer com o negócio de telefonia.

Essa foi a visão de Ballmer em relação a Nokia

Microsoft CEO Steve Ballmer, left, and Nokia President and CEO Stephen Elop unveil the Nokia Lumia 920 and Nokia Lumia 820, NokiaÕs first devices for Windows Phone 8, at a press event in New York, Wednesday, Sept. 5, 2012. The Lumia 920 features a camera able to take in five times more light than competing smartphones for sharp pictures in low light without flash, and the phone comes with integrated wireless charging as well as an augmented reality mapping app, Nokia City Lens. (Photo by Diane Bondareff/Invision for Nokia)

A visão de Steve era: preparar os smartphones Lumias com Windows Phone com “separação entre chips, sistemas e software, já que isso não ocorreria a longo prazo no mundo móvel“. Sendo assim, isso explica a otimização que os aparelhos da Nokia tinha enquanto rodavam o Windows Phone. O executivo disse que a Microsoft chegou um tanto tarde ao mercado de smartphones, mas que isso se deve ao fato da empresa ter ficado receosa após o fracasso do Windows Vista.

Com a decisão de comprar a Nokia, o conselho também foi reticente, mas chegaram a um acordo e a Microsoft comprou a divisão móvel da Nokia entrando assim no mercado de smartphones. Mas depois de sua partida, Steve afirma que a empresa mudou sua filosofia, embora Ballmer ainda pense que a sua estratégia poderia ter funcionado melhor.

O Conselho não concordou comigo, então eles se arrependeram e disseram que a empresa iria continuar com a operação, embora eu já tinha decidido sair.

Ballmer acredita no potencial de Nadella

satya-nadella-vs-steve-ballmer-e1449105367597Apesar das diferenças entre Ballmer e Nadella no mercado de telefonia, ele acredita que o atual CEO está liderando a empresa na direção certa. Ainda assim, Steve Ballmer é um dos maiores acionistas individuais da Microsoft, com os preços das ações em registros bem altos desde 2000.

Satya Nadella está levando a empresa muito bem e estou muito animado com isso.

Apesar da Microsoft ser um sucesso no mercado de softwares, com o Windows, e em hardware com o Xbox, infelizmente, a empresa há um bom tempo vem passando por uma fase delicada do seu sistema operacional móvel, o Windows Phone, ou melhor, Windows 10 Mobile, com números cada vez menores em vários mercados mundiais, agora é aguardar para saber o que a empresa pretende fazer nesse setor, e se de fato, o Surface Phone “salvará a pátria”.