Já imaginou guardar toda biblioteca do iTunes em uma espaço de um cartão de crédito?

Cientistas da IBM descobrem que é possível armazenar dados em um átomo!

Pode parecer difícil, mas pesquisadores da IBM publicaram um artigo na revista Nature no qual apresentou-se o menor ímã do mundo. Composto de apenas um átomo o seu objetivo é reduzir o máximo os tamanhos dos HDs de nossos computadores.

Segundo o artigo os átomos usados no experimento são do elemento hólmio (Ho), conhecido por cientistas justamente por gerar campos magnéticos muito fortes. No estudo uma fileira de hólmios foi posicionada sobre uma placa de óxido de magnésio e uma corrente elétrica foi usada para mudar a orientação magnética de cada um deles. Foram salvas informações nessa fileira e a recuperação das mesmas foi muito precisa, mesmo com as partículas estando a nanômetros de distância.

Para se ter noção o primeiro disco rígido da história, O IBM 350, foi lançado em setembro de 1957. Ele tinha 1,7 metro de largura e 73 centímetros de altura, mas armazenava só 5MB — o equivalente a uma música de pouco mais de dois minutos em formato MP3. Hoje, segundo a IBM, mesmo o melhor dos HDs precisa de 10 mil átomos para armazenar cada bit. Se esse bit pudesse ser armazenado em um único átomo, o gadget ocuparia 100 mil vezes menos espaço.

A IBM fabrica e vende Hardware e Software, oferece serviços de infraestrutura, serviços de hospedagem e serviços de consultoria nas áreas que vão desde computadores de grande porte até a nanotecnologia.

Então com essa tecnologia em funcionamento seria possível sim armazenar toda a biblioteca do iTunes na área de um cartão de crédito.

Por enquanto, ainda é cedo para se ter certeza dos efeitos do experimento no nosso dia a dia, mas podemos esperar discos rígidos cada vez menores e com armazenamento cada vez maior! (PARA NOSSA ALEGRIA!)

Fonte: Revista Nature